PESQUISA (ESC PARA FECHAR)

Category Archives: <span>Logistics</span>

Você sabe o que é logística sustentável?

Uma das tendências mais relevantes no meio empresarial engloba o conceito de sustentabilidade e suas ramificações no processo produtivo. Sua importância reside na tentativa de encontrar um equilíbrio entre a utilização dos recursos naturais e a preservação do meio ambiente para as futuras gerações.

Todos esses fatores são combinados com uma demanda da própria sociedade, que exige que as organizações sejam responsáveis pelo espaço que degradam. Por isso, é preciso tornar a logística sustentável uma realidade em todos os segmentos da economia e no cotidiano das pessoas.

A sua empresa também é capaz de ser ecologicamente correta. Quer saber como? Continue com a leitura deste artigo.

Qual é o conceito da sustentabilidade?

Sustentabilidade é um termo que remete ao futuro, mais especificamente aos recursos naturais disponíveis para suprir a vida nos próximos séculos. Essa expressão também representa a forma como as pessoas e organizações interagem com a natureza.

Quando considerada pela ótica do mercado, a sustentabilidade pode ter foco econômico. Isso quer dizer que medidas que buscam melhor utilização dos recursos podem resultar em benefícios financeiros.

Já o significado mais amplo do desenvolvimento sustentável prima pela preservação ambiental que não é motivada pelo lucro. Ou seja, mesmo que não haja incentivos, a natureza deve permanecer intacta para o próprio bem da sociedade.

Portanto, constitui também uma responsabilidade, tanto de empresas como de indivíduos, trabalhar rumo à conservação ambiental.

Como implementar a sustentabilidade em sua operação logística?

Os projetos relativos à sustentabilidade no campo da logística devem partir do princípio de que é possível obter resultados financeiros ao mesmo tempo em que se estabelece o respeito ao meio ambiente.

A criação de políticas sustentáveis deve estar inserida de forma eficaz no planejamento estratégico das organizações e integrada em sua cultura organizacional para obter melhores resultados.

Com isso, é possível desenvolver diretrizes para guiar as ações necessárias para a execução do plano de logística sustentável.

Um dos exemplos de empresas que modificaram sua estrutura para acomodar suas políticas ambientais é a Coca-Cola. Uma parte de seus produtos é retornável, o que motiva a reutilização de embalagens.

A sua operação logística também foi adaptada para que o mesmo veículo que entrega as bebidas realize a coleta das garrafas vazias.

Mesmo pequenas empresas são capazes de instituir iniciativas socioambientais bem-sucedidas, ainda que em menor escala, tais como:

  • redução do consumo de papel e dos insumos de impressão;
  • utilização de lâmpadas de maior eficiência energética para reduzir o consumo de energia elétrica;
  • priorização da utilização de veículos novos e mais eficientes quanto ao consumo de combustível e à produtividade;
  • otimização das rotas de entrega para realizar um maior número possível de remessas em uma única viagem;
  • incentivo à utilização de embalagens recicláveis ou reutilizáveis;
  • conscientização sobre o correto descarte do lixo e rejeitos;
  • estímulo ao abastecimento de combustíveis menos poluentes, como o etanol e o biodiesel.

Entre as empresas brasileiras, a Natura investe recursos consideráveis para construir uma imagem ecológica. Essa atitude integra seu processo produtivo e cria um importante fluxo de reciclagem das suas caixas, bem como busca reduzir a utilização de plástico com a comercialização de refis e embalagens mais econômicas.

Porque vale a pena investir em projetos de sustentabilidade?

A principal razão é descrita como a construção de uma relação saudável com a natureza e sua repercussão na comunidade. Esse tipo de medida tem potencial para desenvolver uma imagem organizacional positiva.

Para facilitar a compreensão, os resultados das ações voltadas para a preservação do meio ambiente devem ser expressos em valores tangíveis para a percepção de suas vantagens.

Assim, é preciso falar em hectares quadrados de floresta revitalizados e em quantidades de nascentes de rio recuperadas para despertar interesse.

Além dos aspectos econômico e mercantil, a sustentabilidade contribui para a ampliação de empreendimentos mais conscientes, como é o caso do papel desempenhado pela logística sustentável nas transportadoras.

FONTE: https://www.bloglogistica.com.br/mercado/voce-sabe-o-que-e-logistica-sustentavel/

READ MORE

Emissão de carbono pode ser reduzida com o uso da telemetria

As emissões de gás carbônico (CO2) preocupam o mundo todo. O Brasil é o sétimo país que mais polui no mundo. Segundo estudo da ONG Observatório do Clima, o Brasil teve alta de 8,9% nas emissões de gases de efeito estufa em 2016 em comparação com ano anterior. É o nível mais alto desde 2008 e a maior elevação desde 2004. No total, foram 2,278 bilhões de toneladas brutas de gás carbônico (CO2), contra 2,091 bilhões em 2015, o que representa 3,4% do total produzido no mundo.

Diante desse cenário, as empresas estão se conscientizando e tomando medidas para reduzir os índices e sair desse mapa de poluição. Para isso, entre as ações, está a implementação de sistema de telemetria em frotas comerciais. Assim, as empresas podem fazer a gestão de veículos em tempo real e on-line, viabilizando a tomada de decisões para reduzir, entre vários pontos, a emissão de gases poluentes.

Entre as empresas que já estão mudando a consciência ambiental, a MobiBrasil, de São Paulo, estipulou uma meta para economia de diesel e premiou 80 motoristas que conseguiram atingir o valor determinado. O consumo de combustível foi medido por meio da tecnologia de telemetria, implantada em quatro linhas da empresa em setembro de 2017, pela MiX Telematics, uma das maiores empresas de telemetria e gestão de frotas do mundo.

Além de economizar combustível, a MobiBrasil deixou de emitir 107,46 t de CO2 ao meio ambiente, apenas com o programa implantado nestas quatro linhas durante quatro meses. As informações são da MiX Telematics.

Quem usa
De acordo com Bruno Santos, diretor de Vendas e Serviços da MiX Telematics, pelo fato de o Brasil ser um país continental – e, por isso, ter grandes distâncias para o transporte de cargas – e ainda ter uma economia instável, muitas empresas buscam tecnologias para otimizar o transporte e a logística de produtos, bem como reduzir custos.

“Já no caso de empresas que transportam pessoas, seja nas cidades ou pelas cidades, além de minimizar custos e acidentes, há a procura pela redução da emissão de gases poluentes. Diante disso, a telemetria surge como a melhor opção para fazer a gestão das frotas de qualquer porte e finalidade”, completa.

Santos destaca que empresas de vários segmentos usam os sistemas de gestão de frotas da MiX Telematics, como Coopertrans (cooperativa de transporte de produtos químicos), Triunfo Concebra (concessionária de rodovias), Transmagno (transporte pesado de oil&gas), além de empresas de transporte de passageiros.

A telemetria
A telemetria é uma tecnologia que permite a medição e comunicação de informações do interesse do operador ou desenvolvedor de sistemas. O recurso acaba se tornando um aliado dos transportadores, pois as informações relativas à condução do veículo são transmitidas à base de monitoramento.

Com isso, é possível identificar e corrigir hábitos dos motoristas, identificar situações que podem expor o veículo, a carga e o próprio condutor a riscos e otimizar o desempenho de cada veículo.

FONTE: http://www.revistamundologistica.com.br/noticias/emissao-de-carbono-pode-ser-reduzida-com-uso-da-telemetria

READ MORE

Transporte aéreo de passageiros e de cargas deve crescer 6,5% em 2018

O transporte aéreo mundial de passageiros e de cargas no mundo vai acelerar o crescimento em 2018, com incremento da malha internacional em que mais rotas e voos serão lançados para conectar destinos de diferentes países, segundo estudo divulgado pela Airports Council International (ACI), que reúne 2,4 mil aeroportos de 175 países.

A Airports Council International projeta que a aviação de passageiros vai crescer pelo menos 6,5% neste ano e superar os 7,7 bilhões de embarques realizados nos aeroportos, acelerando a expansão de 6% apurada pela indústria de aeroportos até novembro deste ano.

“Apesar da recente retomada do tráfego doméstico de passageiros, a expansão virá principalmente do tráfego internacional, com um incremento de 8,4%”, disse a diretora geral da entidade, Angela Gittens.

Já na aviação de passageiros atendidos nas rotas domésticas, a expansão projetada pela ACI ficará na casa de 5,3%. Essa taxa representa uma estabilidade ante o aumento médio dos últimos cinco anos.

Segundo o estudo, o terminal de Atlanta, nos Estados Unidos, continua a ser o aeroporto mais movimentado do mundo, com 104 milhões de passageiros em 2017, após crescimento de 5%. O aeroporto de Pequim, na China, com 94 milhões de passageiros, mantém o segundo lugar, seguido de Dubai, com 84 milhões.

Enquanto os mercados domésticos de passageiros na Ásia-Pacífico, na Europa e na América do Norte estão com taxas de crescimento estagnadas; na América Latina, África e Leste Europeu o ritmo de expansão ganha força.

Na América do Sul, a reação da atividade econômica no Brasil alimenta a recuperação da aviação na região.

Dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostram que a demanda medida em passageiros-quilômetros pagos transportados (RPK, na sigla em inglês) cresceu 7,8% em outubro ante mesmo mês de 2016 – oitava alta seguida do indicador, que havia antes encolhido por 19 meses consecutivos.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), que reúne as 275 maiores empresas aéreas do mundo, diz que na América Latina a demanda deve crescer 8% em 2018, superando o crescimento previsto da capacidade de passageiros, de 7,5%.

No setor de frete aéreo, o cenário da AIC também é positivo, com uma projeção de que a demanda pelo transporte de cargas vai avançar ao ritmo de 7,4% ano em 2018, ante expansão de 4% em 2016 e 7,1% em 2017. O acúmulo de estoques, o incremento das encomendas de exportação e o fortalecimento da demanda das compras on-line são os vetores do frete aéreo no curto prazo.

Os terminais de carga mais movimentados do mundo são os de Hong Kong e de Memphis (EUA), com 4,6 milhões e 4,3 milhões de toneladas, respectivamente, de movimentação anual.

“Os mercados de carga aérea experimentaram um ressurgimento no segundo semestre de 2016 para superar 110 milhões de toneladas métricas no final do ano e alcançar um crescimento de 4%”, disse a diretora geral da Airports Council International, Angela Gittens. “Apesar do pano de fundo da incerteza econômica em relação às políticas comerciais nos Estados Unidos e no Reino Unido, dois dos maiores mercados de aviação do mundo, a confiança das empresas perseverou em 2017”, afirmou.

Esse ambiente de maior demanda esperado pelos aeroportos vai alimentar o lucro das companhias aéreas. A Iata prevê que o lucro líquido da empresas de aviação suba para US$ 38,4 bilhões em 2018, uma melhoria em relação ao lucro líquido esperado de US$ 34,5 bilhões em 2017 – que já será superior à projeção feita em junho último, que era de US$ 31,4 bilhões em junho).

Mas a Airports Council International alerta que o cenário positivo desenhado em 2017 e 2018 para o transporte aéreo mundial pode ter que atravessar algumas turbulências.

“O recrudescimento de conflitos geopolíticos e do terrorismo, juntamente com uma renovada onda protecionista que atinge algumas da principais economias do mundo são riscos para 2018”, afirma a diretora da AIC. “Mesmo com a melhora da confiança do consumidor em todas as principais economias e fundamentos relativamente sólidos como pano de fundo, o otimismo cauteloso deve ser o sentimento predominante em nossa indústria”, disse a executiva.

 

FONTE: Valor Econômico (http://www.valor.com.br/empresas/5243255/transporte-aereo-de-passageiros-e-de-cargas-deve-crescer-65-em-2018)

READ MORE